segunda-feira, fevereiro 05, 2007

eu atiro! eu atiro!

Umas moedas por alguma emoção forte.
Uma pausa pro rosto que souber ficar.
Dançar a noite toda com um sorriso que me leve pra casa, mesmo que eu não peça.
Eu não estou indo embora assim sem motivos só porque eu não sei ficar, é porque eu já não vejo sentido em amassar suas cadeiras e acender as luzes.
Eu deveria comprar os jornais e ver a página de empregos, seria bom para todos.
Eu deveria parar de beber vodca de nove reais o copo.
Eu não deveria passar tanto tempo mostrando coisas que ele não quer ver.Palavras, divagações desnecessárias para um esportista.

Porque minha calcinha é bem mais interessante, ainda que tenha sido distração sua parição.
(Nem tão distraída, ok... Mas era só diversão duma garota triste.)

Foda-se o dilema do passar do tempo, das datas e dos nomes...
Foda-se boa parte dessa história, desse enredo sem perdão!
(Oh não! Era ressentimento...)

Bálsamo dos almodovares corações!
O Xico Sá vai pro inferno, ainda bem...Porque eu também vou.


Algumas moedas por uma noite com um pouco mais de cor.
Algumas moedas para engravidar de um olhar!



Passe essa arma pra cá!
O próximo tiro é meu.
Só meu...





Pó.

2 comentários:

Luís Fernando disse...

Buenas.
Amandinha, depois eu é que sou foda, né?
Putaquepariu.
Vai escrever bem assim em algum botequim da cidade. =)
Te adoro.
29 beijos.

disse...

Amanda eu tenho medo quando vc escreve coisas que vai atirar, pq eu lembro daquela foto do orkut vc manda tomar no cu, pare de ser malvada, abaixe a arma, vc nao precisa disso.


=D