segunda-feira, novembro 20, 2006

doida doida doida!


Quando em teu colo deitei a cabeça, meu camarada, a confissão que fiz eu reafirmo,o que eu te disse e a céu aberto eu reafirmo: sei bem que sou inquieto e deixo os outros também assim, eu sei que minhas palavras são armas carregadas de perigo e de morte, pois eu enfrento a paz e a segurança e as leis mais enraizadas para as desenraizar, e por me haverem todos rejeitado mais resoluto soudo que jamais poderia chegar a ser se todos me aceitassem,eu não respeito e nunca respeitei experiência, conveniência, nem maiorias, nem o ridículo, e a ameaça do que chamam de inferno para mim nada é, ou muito pouco, meu camarada querido: eu confesso que o incitei a ir em frente comigo e que ainda o incito sem a mínima idéia de qual venha a ser o nosso destino ou se vamos sair vitoriosos ou totalmente sufocados e vencidos.
Walt Whitman (1819-1892)

2 comentários:

disse...

olha, a maeaça do inferno......
pra mim tem sido promessa!

=******************

Luís Fernando disse...

Buenas.
Amanda, eu estava com saudade do seu blogue.
Walt Whitman é genial. Eu reli um do Amós Oz nesta semana, é um dos raros casos de livros que eu não me canso de degustar.
Se cuida, 29 beijos.