terça-feira, dezembro 20, 2011

Aproximadamente probo



Espaços, reticências, canções pela tarde,
é como sentir sem mudar os traços da face,
sem chegar nem perto de uma síncope,
um pouco insone,
borboletas de morte,
de doença crônica,
postais sem nome.

Agora resta a estrada à frente
longínquo esquadro quebrado no meio,
gotas de perfume na roupa suja,
sapatos limpos,
sorriso amarelo.

Procura-se um corpo em qualquer temperatura,
um canto de boca alheia pra se guardar um segredo inventado,
mãos pra brandir
e soltar quando o sufoco do desejo for muito apertado.

Alguma emoção inesperada,
um certo verso original ou reformulado,
pra esfolar este silêncio,
pra desenferrujar o coração e os dentes.

Sangue novo,
distração atemporal,
quartos nunca antes freqüentados,
um sorriso desgraçadamente belo,
daqueles que submergem a harmonia com o rosto
e perturbam o sopor dos desavisados...

7 comentários:

Ludi disse...

ah que saudades das palavras suas!!! =D Lindo!! Como sempre, lindo!!
"Alguma emoção inesperada" que venha!!!
Te amo!!! =

amanda disse...

Quel, eu amo ver vc toda realizada feliz! Te amo amiga e parabéns pelo blog, geniaaal!

FerdNan Raesmo disse...

Sempre me surpreendo quando leio suas coisas !!! Mais uma vez muito bom !!! Parabens !!!

Esculpindo Ilusões disse...

Feliz 2012 repleto de realizações e saúde!!!

Esta tá tolinha de todo disse...

Răspundeţi e você é tão repetitivo, diferente igual a todo mundo.
sua veia revolucionária tá necrosada e só você não sabe.

necrose veia diferente igual...

tome lítio vai Ştergere Amanda amanda

e ela amandou...reflexo pavloviano da bitch

normal né?

Esculpindo Ilusões disse...

Que seu carnaval seja cheio de alegria, muita paz e amor.
Beijussss

A.S. disse...

Amanda,

Sublime expressão poética!...


Beijos,
AL