quarta-feira, dezembro 14, 2011

Grito na madrugada



Escutou-se um grito na madrugada. Porém, sem espanto, somente alguns despertaram. Só mais um grito, só mais uma madrugada.
Há um meio termo em tudo que se escolhe pra si. Não há sangue que lave o medo de quem se pergunta tolices demais.
A lua cheia aquecia a cidade e o coração roto de quem tinha tempo para olhar o céu.
Alguns são realmente bons, outros irremediáveis tiranos. A vida é como um beco escuro que pode dar em qualquer esquina; esquina que pode levar a qualquer lugar.
Sempre dizia que só se pode confiar em quem tem os olhos tristes. Talvez para parecer confiável.
Cada um traz dentro de si dezenas de mentiras pra contar, mas, apenas alguns têm a chance.
Das verdades, por vezes até feitas de alguma nobreza, nem sempre consolidadas só de versos vis; das verdades nem mais os padres querem saber.
(Se precisar de qualquer coisa, as procure nos sonhos, quando seu corpo parecer desfalecido e as horas, pequenas gotas molhando o colchão. Só não busque o amor nos sonhos, tente outros jogos sórdidos, outras mesquinharias mundanas).

2 comentários:

FerdNan Raesmo disse...

... triste e sem esperança, isso é uma coisa que só pode inspirar a sensibilidade de pessoas especiais !!!!

Rafael Perfeito disse...

Sua escrita é muito forte. E as palavras carregam um quê de terror, além de, claro, olhar-nos nos olhos com melancolia. Parabéns!