quinta-feira, junho 28, 2007

Nunca gostei tanto de festa junina.

"Chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa. Ou não diga nada, mas chegue mais perto. Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada..."

Caio Fernando Abreu

2 comentários:

Cris disse...

Aiiiiii consigo ver a felicidade através das palavras...
amo vc minha flor

Sir ALain de Paula disse...

Mais um poema escrito pela falta de contato humano que temos uns com os outros.

Sim, isso é triste. Mas esse assunto vai dar muito fio de prosa. ..

Amanda e seus poemas, hehe... Não estou reclamando, muito pelo contrário. Nunca ouvi falar deles, mas é bom ouvir novos nomes na praça, que escrevem tão bom quanto aqueles que criaram-na. =D