segunda-feira, julho 23, 2007

(eu não ando bem da cabeça)


Parece que minha garganta vai começar a doer, está estranha (ou será só um nó na garganta?), amanheceu chovendo muito.
Passei à tarde com a chuva me pondo medo, ameaçando aumentar, algumas trovoadas.
Desde ontem que me fragilizei assim.
Exposta.
Com medo.
Fugindo.
Tem dias que não faço questão de mais nada, tem dias que tanto faz se os meus amigos estão distantes, se o mundo é feito de ostentação... Tem dias que eu desisto de tudo (dela, dele, de mim, de você, de nós, do universo).
Tem dias que dá pra ver a distância que existe entre eu e a vida que eu queria pra mim.
Sinto saudades duma alegria, sinto falta de estar contente, de sorrir em paz.
Tem dias que não há ninguém, e tem dias que nem falta eu sinto mais.
Ontem à noite quando cheguei, estava muito quente, minha cabeça doía, minha alma se contorcia em agonia, pra que eu nunca mais deixasse que a vissem.
Eu devo isso a ela.
Vou ficar aqui e esperar tudo passar.
Para amanhecer novos dias, em que eu não precise mais desses seres estranhos (velhos & sujos) pra me contradizer, pra sentir pena e desejar me comer.
Porque eu posso ser um pouco ingênua e amedrontada, mas eu sei bem o que querem quando olham pra mim.
Não entendo a raiva, tampouco a mágoa e essa irritação, não quero entender, quero esquecer, quero que passe esse tormento antigo, com nova face, novos versos, e a mesma mentira...
Pro inferno!
Eu sei que não podia me matar, acabaria me deixando viva, agonizando por odiar ainda mais o que me move.

5 comentários:

Alain disse...

Não fique assim! =)

Não se odeie, não fique triste e tampouco lamente. Minha vovó dizia que a vida é feita de escolhas, e nós não temos que ficar nos lamentando ou nada do tipo. Porque pode ser que soframos hoje, mas amanhã virá uma coisa boa, com certeza!

Afinal, é esse o ciclo, é o destino pelo qual não sabemos se criamos o nosso ou se aceitamos isso como se fosse algo que não pudéssemos controlar. =)

No mais, te animarei quando sairmos. Prometo! ^^/ Vc é muito bonita pra ficar triste. =( E odeio ver mulher triste e ainda mais chorando.

Se existe alguém aqui que merece chibatadas pelo passado, esse aqui sou eu. ^^"

Beijos =X Nem faz muito tempo que nos conhecemos, mas te adoro viu? =X

disse...

Oi Amanda,

Gostei do texto, depois leio os demais. Vc denota pensamentos de um jeito muito peculiar e cativa viu. Parabéns e não pára não.
Boa semana chuchu.

Lívia disse...

Olá...
obrigada pelo comentário no blog da Ana C., e eu que achava que isso não iria para frente...
Ah, por falar nisso... porque voce deu o título ao post que tem texto da Ana como 'certas vidas não saem do rascunho'?

ah, quanto ao outro blog, é como eu disse... isso nunca me acontece quando eu quero, quando eu tento forçar as palavras fogem... mas essa noite, alguns poemas textos e afins andaram me martelando as idéias...
vou postar um deles...

Lívia disse...

a pergunta foi pura curiosidade mesmo...

eu tentei postar o poema no outro blog, mas o blogger hoje está extremamente lerdo e conspirando contra mim...

Lênon disse...

obrigado pelo comentário no meu blog.

como você me encontrou?

percebi por um post ali que você faz história... eu também já iniciei esse curso, depois acabei abandonando. qual foi o texto de "introdução aos estudos históricos" que a professora passou?

o meu primeiro texto dessa matéria foi um do Boaventura de Souza Santos, "Crítica à razão indolete" ou algo assim. foi como uma ducha de água fria na mente escaldante dos alunos. poucos conseguiram compreender alguma coisa dali. - não tenho a presunção de me afirmar enquanto um deles - depois foram aprendendo.

gostei do modo visceral como escreves. tens sentimentos fortes e sabes transpô-los em palavras.

^^

e gostei da citação de Bob Dylan. hoje em dia é moda dizer que gosta de Dylan mas quase ninguém conhece mais do que meia dúzia de músicas, quanto mais citações dele.

me add no msn para conversarmos mais, caso queiras
lenon3579@hotmail.com

^^

beijos

Lênon