sexta-feira, abril 07, 2006

Tragédia grega por mexicanos (a reviravolta no quintal)





Por que você não olha as estrelas e esquece que o céu é maior?
Sentada num tronco seco, roendo unhas, forçando a lembrança pra aquém dos momentos que matam...E puta-que-pariu! Por que diabos você tem sempre que lembrar?
Choveu? Acabou? Amou? Passou?
Ressaca do que come minha sanidade (eles ainda não perceberam que é uma fraude?).
Vontade de voar.
“Você voa?” - disse olhando pro céu que se preparava pra adormecer.
Você rouba, você sonha? Você sabe mesmo fazer alguém sorrir?
“Eu sei uma modinha de carnaval, quer ouvir?”.
Pro inferno você e a sua falta de tempo!
Desfecho:
“Alguns dias de chuva fizeram com que a boneca de pano derretesse e soldadinho de chumbo oxidasse. E nesses fracassos pueris típicos de dias de chuva; uma certa bonequinha de louca foi pra cristaleira (tinha o esplendor daqueles caros presentes de natal)”.
A vivacidade atroz daquela casa se perdeu quando os olhos do quintal se abriram e não suportando tantos cadáveres de faz de conta...
Porém eu sei, a cristaleira era muito mais bela que a boneca de louça, que ofuscada, falsa demente, derramou uma lágrima e seus olhinhos esmaltados borraram.
Por Amanda Cristina Carvalho em 18/2/06

3 comentários:

LimãoCubico disse...

menina, por quê protestas o meu fim quando já tens tudo isso em ti? Se escrevesse como tu deleitaria-me, num ato egoísta, com meus próprios escritos.

João Pede Feijão disse...

Gostei... sua carga literária é boa, densa e apaixonada... acho que estas coisas somadas à outras fazem bons escritores... parabéns

Olhar de ressacA disse...

Querida,

gostei muito desse! Esquecendo que o céu é maior as estrelas se tornarão ainda mais bonitas.
Não se esqueça: te espero em Cuiabá. =)
beijos.